Total de visualizações de página

terça-feira, 22 de abril de 2014

terça-feira, 15 de abril de 2014

Brasil o país da piada pronta

A polícia do Rio Grande do Norte pode estar procurando por você, e talvez você não saiba. Isso porque, a juíza Manuela Alexandria Fernandes Barbosa, da 2ª Vara de Parnamirim, expediu um mandado de prisão sem o nome do destinatário. A magistrada, no mandado, apenas descreveu a fisionomia do procurado: homem, moreno, com barriga ligeiramente saliente, com estatura que pode variar de 1,70m à 1,75m, entre 30 a 35 anos e sotaque tipicamente nordestino. Além dessas descrições, o mandado de prisão, assinado no último dia 21 de março, também relata que o procurado tem olhos e cabelos pretos, um risco no queixo, algumas espinhas e manchas nas maçãs do rosto, sem tatuagem aparente, nem barba ou bigode. O mandado de prisão vale até 21 de março de 2030. Em 2012, a juíza mandou citar um homem com as mesmas características.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Euros na calcinha

 E assim caminha nosso Brasil......
Alvo da Operação Lava Jato, Nelma Mitsue Penasso Kodama foi presa pela Polícia Federal (PF) na madrugada de sábado no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, quando tentava embarcar para Milão, na Itália, com 200 mil euros escondidos sob a roupa. 

Quase todo o dinheiro estava dentro da calcinha de Nelma, que foi concunhada do ex-juiz federal João Carlos da Rocha Mattos — condenado na emblemática Operação Anaconda, deflagrada em outubro de 2003 para combater suposto esquema de venda de sentenças judiciais.

sábado, 5 de abril de 2014

Nível Cultural

Um político, que estava em plena campanha, subiu em um caixote e começou seu discurso:

- Compatriotas, companheiros, amigos! Encontramos-nos aqui convocados, reunidos ou ajuntados para debater, tratar ou discutir um tópico, tema ou assunto, o qual é transcendente, importante ou devida ou morte. O tópico, tema ou assunto que hoje nos convoca, reúne ou ajunta, é minha postulação, aspiração ou candidatura à Prefeitura deste Município. 

Uma pessoa do público pergunta:

- Escute aqui, por que o senhor utiliza sempre três palavras para dizer a mesma coisa?

O candidato responde:

- Pois veja meu senhor: A primeira palavra é para pessoas com nível cultural muito alto, como poetas, escritores, filósofos e etc. A segunda é para pessoas com um nível cultural médio como o senhor e a maioria dos que estão aqui. E a terceira palavra é para pessoas que têm um nível cultural muito baixo, pelo chão. Digamos, como aquele bêbado ali jogado na esquina.

De imediato, o bêbado se levanta cambaleando e responde:

- Senhor postulante, aspirante ou candidato! (hic) O fato, circunstância ou razão de que me encontre (hic) em um estado etílico, bêbado ou mamado (hic) não implica, significa, ou quer dizer que meu nível (hic) cultural seja ínfimo, baixo ou ralé mesmo (hic).

E continua:

E com todo o respeito, estima ou carinho que o senhor merece (hic) pode ir agrupando, reunindo ou ajuntando (hic), seus pertences, coisas ou bagulhos (hic) e encaminhar-se, dirigir-se ou ir diretinho (hic) à leviana da sua genitora, à mundana de sua mãe biológica ou à puta que o pariu!